sexta-feira, abril 20, 2007
Há muito tempo que não coloco aqui nada duma Senhora que me merece todo o respeito.
É uma artista não só com as palavras mas também com os pincéis. Tenho pena de não poder mostrar nenhum dos seus quadros mas posso colocar aqui um dos seus poemas.
Nesta altura os campos do Alentejo estão cheios de flores...e as papoilas são as que normalmente mais se destacam.




Papoila


A papoila tem o tom vermelho, rubro
da festa em brasa
E, no verde manso do trigal - se aparece
é o grito que contesta a cor certinha o
ondular ardente
ao toque do tempo - compassos do vento!...
É a gargalhada insólita, inesperada
que desfralda a revolta recalcada!
E... a Papoila sabe!
Cativante! - Erótica, ao tacto macia...
Tem toque de pele - morna como um ventre...
Tem o toque de seda - um mole de veludo...
- Um nada de cada - um pouco de tudo...
Por isso disfarça o olhar pestanudo
de estames fartos que o ópio perturba...
- Sabe-lhe o negrume e esconde-o bem
na cor escaldante que as pétalas tem.
- Bem de longe chama! - Sou de sangue e lume!
- Sou de sangue e lume!...
- E só se colhida - da morte já ferida
e em requebro de tango , maldosa ,
perdida
sensual, pagã - confessa o ciúme
de usar veneno
em vez de perfume !

Maria José Rijo

Livro - de Flores





Como não tenho este livro tomei a liberdade de retirar este poema de alguém que consegue ser uma admiradora ainda mais fervorosa desta Senhora.

Podem encontrar outros textos e poemas no sítio da Paula

8 comments:

Para sempre, Maria disse...

Não poderia ter escolhido um tema melhor: o nosso Alentejo.
Quando as coisas correm mal apetece-me virar costas a tudo e voltar para lá.
Aqueceu-me um bocadinho o coração.

Um abraço

Xanu disse...

Eu também me sinto assim muitas vezes. Tenho saudades do Alentejo, daquele céu que tem um azul único, dos campos na Primavera...só uma alentejana para entender outra não é verdade?
Quando as coisas correm mal o melhor é respirar fundo e deixar passar algum tempo que tudo se ajeita. Aliás nisso o tempo é nosso aliado, coloca tudo no seu lugar.
Um beijinho neste dia chuvoso pelo menos aqui no Ribatejo.

Repórter disse...

Interessante, Xanu.

Anónimo disse...

Olá Xanu.
Tenho andado desaparecida,mas tem sido muita falta de tempo,e mais qualquer coisa, que me tem impedido de andar por aqui.
Por aqui o verão já espreita, gosto do visual.
O poema é muito bonito, e as papoilas também.
Bom fim de semana.
Beijocas
Mary90

paula disse...

Ola Aldina
Venho agradecer as tuas palavras e dizer que realmente sou uma GRANDE admiradora da Sra. D. Maria José Rijo. É mesmo a minha Maior Amiga. Fizeste bem em tirar este poema para o teu blog. Eu tb o adoro.
Muitos beijinhos e gostei de te ler.
~Com a mizade
Paula ( A.) Travelho

Anónimo disse...

Que bom ter amigos! Amigos bons! - para olharem para nós com a luz do próprio coração.
É a melhor maneira de ficarmos "bem" no retrato.
Eu também tenho saudades, nem saberia dizer quantas...
Obrigada.Obrigada de verdade pelo apreço e pela amizade que retribuo
um abraço grande, grande, da maria josé rijo

Xanu disse...

Sinto-me honrada com a visita.
As saudades que eu tenho das nossas conversas, é sempre um prazer ouvi-la e tenho pena que exista gente nessa cidade que não o faça...muita coisa estaria diferente.
Um abraço enorme e um beijinho cheio de saudades!

Anónimo disse...

Adorei!
Realmente esta Senhora tem uma alma
imensa.
Já conhecia os três blogs desta Senhora e hoje encontrei o seu, Dina, de que também muito gostei.

Com muita simpatia

Margarida Tavares da Cunha

Blogues da Minha Filha

Seguidores

Arquivo do blogue