sábado, novembro 17, 2007


Hoje em dia muita gente confunde frontalidade com muitas outras coisas como arrogância, soberba e porque não dizê-lo má educação.
Por detrás da máscara da frontalidade as pessoas aproveitam para ferir os outros sem qualquer pudor, sem pensar que uma pessoa que acabaram de conhecer tem um passado que a condiciona e que nem todas as pessoas conseguem ou melhor nem todas as pessoas têm que ser iguais a nós próprias. É aliás essa individualidade que torna o ser humano tão atraente.
Tudo o que somos é um misto de genes que nos transmitiram com condições que nem sempre conseguimos controlar. O lugar onde se vive, os pais que temos e a forma como nos educaram, o ambiente que nos rodeia fora da família, os acontecimentos que no seu todo nos foram transformando em pessoas mais ou menos capazes de lidarmos com a vida que nem sempre é o que gostaríamos que fosse.
Há quem apesar das condicionantes adversas consegue ser uma pessoa expansiva e aberta aos outros e quem por outro lado apesar das várias tentativas para o fazer acaba por se ver sempre presa nas redes duma timidez que disfarça com uma capa de quase agressividade.
Terão os outros legitimidade para usar isso como arma de arremesso só porque aquela pessoa não é como elas ou nunca seria escolhida por elas para fazer parte dos seus amigos?
Não seria tão mais fácil apagar a breve passagem dessa pessoa pela sua vida e esquecê-la logo ali?
Que necessidade há de ainda escavar mais nas feridas que essa pessoa já tem ou imaginam que tem e de forma gratuita sem que com isso obtenham mais que uma satisfação dos seus próprios egoísmos? Sentiram-se melhor por mostrarem aos outros que aquela pessoa é no seu ponto de vista daqueles que se devem evitar a todo o custo?
Ser amiga de pessoas que fazem amizades com facilidade, de pessoas expansivas e abertas aos outros é fácil...não exige nada de nós...é algo natural.
Ser amiga das pessoas que são o oposto de tudo isso e conseguir apesar de todos os obstáculos que nos surgem no caminho manter e reforçar essa amizade é que quanto a mim pode fazer a diferença.
Para os que não querem ter no seu rol de conhecidos e muito menos no de amigos uma pessoa assim o mais correcto não será ignorá-la?
Sentiram-se melhor por a ridicularizarem aos olhos de todos?

Ontem foi o dia Internacional da Tolerância algo que cada vez mais é apenas uma palavra sem qualquer sentido para muita gente.

Eu sei que agora é moda escrever outra coisa mas eu prefiro usar o velhinho...P.S.:

Se acharem que o que acabaram de ler não é pura coincidência têm razão.
Sou uma pessoa que nunca quis ser perfeita nem melhor que ninguém mas que se orgulha de defender com unhas e dentes os seus amigos sejam eles quase perfeitos aos olhos dos outros ou não.
Rectifico...os meus amigos são pessoas que estão muito longe da perfeição o que faz deles seres humanos muito mais atraentes.
A perfeição é demasiado monótona para o meu gosto.

11 comments:

Azul disse...

Dinita.

tens toda a razão no que dizes.
Efectivamente, e apesar de tudo ter corrido ás mil maravilhas, houve ali uma altura em a coisa que descambou...
Culpa de quem?
Digo-te, com a mais sincera das palavras e com o coração apertado - álias, estou aqui a dar a cara, se assim não fosse, nem escrevia nada..-
Há pessoas que têm uma maneira de exteriorizar os seus sentimentos duma forma mais brutal que outras, embora isto não sirva de consolo ao que já ficou escrito.Eu sempre disse e sou eu a 1ª prova disso, que todas as pessoas merecem uma 2ª oportunidade para mostrarem o que valem.
Sou pecadora , por ter colaborado e por ter, talvez, deitado achas numa fogueira que nunca devia ter sido ateada.
O que é certo é que, apesar de tudo, considero que, uma opinião não faz mil, e fui a 1ª a dizer que talvez as coisas não fossem bem assim,talvez as coisas não tivessem corrido, para ambos os lados - de nós 3 para o outro - da melhor das maneiras.
Reconheço que ERREI, por isso estou aqui.Reconheço que o texto a que te referes foi muito severo, mas é como te digo, e como tu própria disseste neste texto: Somos todos diferentes uns dos outros.Por isso mesmo, temos a capacidade de nos darmos tão bem- ou não -uns com os outros.
A perfeição não existe e , efectivamente, eu colaborei, para que isso não fosse uma mais valia do ser-humano.
Não estou aqui para defender quem escreveu o quê, nem para quem foi conivente com a situação.
estou aqui, para assumir as minhas desculpas pelo que escrevi acerca doque te leva a fazer este post.
E estouaqui porque me foi negado o acesso a esse blog, senão tê-lo-ia feito poessoalmente.
Sobre o que se passou, que foi tudo para uns e nada para outros,espero, brevemente, esclarecer a situação olhos nos olhos.
É assim que eu sou.
Também por a situação, na altura em que aconteceu, não me ter prejudicado de forma alguma , nem sequer me ter mudado a maneira em como tinha en consideração em si, não sei se me estou a fazer entender,não achei por bem avisar os demais para o texto que ofendeu e para os comments em que eu colaborei.
Certo é que o fiz, o que é imperdoável.
Dizer que fui contra a exposição perante tantos-mil, é escusado.
Se isso ajuda, em alguma coisa a repôr amizades-as vossas, que prezo muito? Fui.
Dizer que eu tenha dito a várias pessoas- algumas delas bem conhecidas tuas- que não estava de acordo com a coisa, e que acho que toda a gente merece a tal 2ª oportunidade, se isto ajuda a repôr a amizade, então eu digo.
Porque assim foi.
Mas isso não iliba a minha culpa, ao ter sido conivente, ao ter achado graça á situação,ao ter escrito o que escrevi.
Por isso, aqui estou, já que no blog em questão não me foi dado acesso para o fazer.
Por isso, aqui estou, a expôr-me, porque sei que errei e quando sei que o faço, sou a 1ª a acusar-me...
Por isso aqui estou,porque , tal como eu disse a toda a gente quando isto aconteceu, todas as pessoas merecem uma 2ª oportunidade, e eu estou-vos a pedir a minha.
Errei.
Perdoas, SA?
Desculpa, e é mesmo do fundo do coração.Até gostei imenso de ti.Palavra.Isto não me faz sentir melhor , mas, pelo menos, é o que sinto.

Dina, a ti, só tenho que te agradecer por este post.
És uma grande mulher.

Se me quiserem excluir, façam-no, mas ao menos, fica-me a amim d consolo este pedido de desculpas, também ele á frente de quem o quiser ler.

Um beijo.

Anónimo disse...

bom, aldina..ja percebi que este texto é em minha homenagem. mas não sintas pena por mim... eu li o texto da pessoa em questão... e até achei graça. claro que só sendo muito superior moral e mentalmente se pode achar isso, passo a imodéstia. no fundo as pessoas quando se vêem ao espelho nas outras, ou naquilo que julgam que as outras são, é realmente incomodativo e mexe com elas.

Dina disse...

Azul o que me levou a escrever isto não foi o post em si porque todas as pessoas têm direito a escrever sobre o que quiserem nos seus blogs...o que desaprovo, sobretudo pela forma como foram feitos, são os comentários. São incisivos e deixam claramente perceber a quem se dirigem os tiros e fazem-o duma forma quase maldosa nalguns casos. Não havia necessidade como tu própria referes de deitar lenha para a fogueira. Ninguém melhor que eu conhece a pessoa em questão e ela sabe que já lho disse muitas vezes, ela não é fácil mas não é por isso que concordo com os comentários, Não havia necessidade de chegarem ao ponto que chegaram.
Quanto a ti não te preocupes que não são estas coisas que me fazem desistir das pessoas assim tão facilmente.

Dina disse...

SA.Não escrevi este texto nem como homenagem nem por pena...mas porque achei que a atitude que certas pessoas tiveram não foi correcta. Nem foi pelo post como já disse à Azul mas sim pelos comentários.

Azul disse...

Desculpem.....

entretanto, já falei c a pessoa em questão, mas não me sinto melhhor...

elvira carvalho disse...

Dinita, minha alma está parva. Vim do blog da Azul onde encontrei um pedido de desculpas da parte dela para alguém. Cheguei aqui e li o seu post que me deixou surpreendida. De seguida entro pró comentário e vejo o "mea culpa" da Azul.
Subentende-se que ela ofendeu alguém, e digo que a minha alma está parva porque do que conheço dela não a vejo a ofender ninguém.
Embora impulsiva, acho-a uma excelente pessoa.
Um abraço e bom fim de semana.

Dina disse...

Elvira não foi a Azul directamente embora ela sinta que tem parte da culpa o que é verdade. Eu gosto muito dela e ela sabe que sim por isso mesmo e porque para mim a frontalidade é ter a capacidade de dizer directamente às pessoas quando não concordamos com a sua atitude, foi o que fiz.
Se o que se passou tivesse envolvido a Azul, tal como envolveu essa pessoa eu teria feito exactamente o mesmo, os amigos servem para nos defenderem e para nos chamar à razão quando não estamos a agir da melhor forma. Isso é que para mim é ser amigo...aqueles que estão sempre de acordo connosco e que nos dão palmadinhas nas costas quando estamos presentes não são necessariamente os nossos verdadeiros amigos.
Gostei da atitude da Azul e não estou chateada com ela.
A situação está esclarecida e da minha parte enterrada.

Pitanga disse...

Acordada Dina?

Dina disse...

Sim! Como sempre!
Temos que trocar msn é mais fácil...

Eskisito disse...

Já soube da confusão. Não tenho o que dizer, visto que não fui, não sei em pormenor, nada. Mas, acredito numa coisa...a Azul está arrependida...o resto que se amole.
Beijos e para a próxima estou lá eu para dizerem mal de mim...hehehe

Dina disse...

Esk se assim for até eu alinho e se eles disserem mato eu digo logo...esfola!
Agora a sério...o assunto está esclarecido e encerrado.

Blogues da Minha Filha

Seguidores

Arquivo do blogue