terça-feira, novembro 29, 2005
Fernando Pessoa dizia que eramos um País de provincianos...

O presidente da Sonae considera que o nosso país se transformou num país de cigarras, quando devia ser mais de formigas - declarações feitas ontem, no lançamento de um livro de Miguel Cadilhe.



Recorrendo à fábula, Belmiro de Azevedo criticou o excessivo peso do Estado e a tendência de endividamento dos portugueses.
"O Estado, ao longo dos últimos 30 anos, mas sobretudo nos últimos 20, cresceu em dimensão, em complexidade, mas perdeu rumo", disse, confessando que não consegue "vislumbrar estratégia para o país".
"Antes de sermos ricos tornámo-nos acomodados, gastadores, menos trabalhadores, menos formigas e mais cigarras", criticou.
Belmiro de Azevedo falava no lançamento do livro "O Sobre-Peso do Estado em Portugal" de Miguel Cadilhe, onde o antigo ministro das Finanças defende a redução drástica da Função Pública.
Numa obra que o próprio autor considera radical, Cadilhe diz acreditar que a administração do Estado pode emagrecer em pelo menos 25%.
Sobre o Orçamento de Estado, que vai ser em votado no Parlamento, na especialidade, Miguel Cadilhe considera que é mais um documento "pró-cíclico", quando devia ser contra-cíclico.
"Os últimos anos têm trazido orçamentos que agravam a recessão em que estamos e o próximo sofre do mesmo pecado", afirmou.

Fonte: http://www.rr.pt


Concordo a 100%...e não prevejo mudanças a curto ou médio prazo.

2 comments:

Espectacologica disse...

Olá Avó linda e babada! :)
Pois um país de cigarras, agora só temos que descobrir como é que as mulheres dos cigarros se fumam, né?
Ok!
Vim dizer-te que não se passa nada, ou melhor, vai-se passando o tempo à espera de melhores dias...
Esperança ainda tenho!
Beijos e beijinhos

Reporter disse...

Se o senhor Sonae pensa isso dos portugueses, por que razão continua a fazer negócio, e riqueza, à custa dos mesmos.
Será o senhor Sonae uma formiga enfardadeira?
:)

Blogues da Minha Filha

Seguidores

Arquivo do blogue