quinta-feira, outubro 01, 2009
 Com este texto, embora dividido em dois com menos fotos e sem todas as receitas, vou participar na blogagem colectiva do site Aldeia da Minha Vida.
Como só a partir de dia 10 serão colocados os textos, nessa altura coloco aqui de novo o meu mas tal como vai aparecer por lá!
Para já é apenas para vos abrir o apetite!!!





Sabores de Saber herdados

Se as paisagens e a amabilidade dos alentejanos são um atractivo...a boa comida é aquilo que acaba por ficar na memória de todos.
Acreditam que os sabores da comida são diferentes quando os saboreamos no Alentejo? Ou talvez seja apenas a saudade...que me cria ilusões...
Bacalhau Dourado,Azeitonas d'Elvas, Sericaia, Ameixas d'Elvas, Nógados, Migas com Entrecosto, Cozido de Grão, Queijadas, Enxovalhadas, são apenas algumas das muitas especialidades que podemos encontrar na minha terra.
A gastronomia alentejana é rica em sabores.
A escassez aguça o engenho e as gentes do Alentejo compensaram em sabor o que faltava em abundância.

Alhos, coentros e sal
Também se faz com poejo
Este comer que afinal
Nasceu no nosso Alentejo
Depois do alhos pisados
E com a água a ferver
Corta-se o pão aos bocados
Está pronto, vamos comer

É fácil fazer
Dá pouco trabalho
É água a ferver
Coentros e alho

Coentros e alho
E água a ferver
Dá pouco trabalho
E é fácil fazer

É assim a açorda alentejana, fácil de fazer e tão saborosa!
Pode ser acompanhada por um ovo escalfado, umas sardinhas assadas, bacalhau ou como nos tempos dos meus pais e avós...com o que houver à mão, muitas vezes um pedaço de toucinho crú.

A Pousada de Santa Luzia em Elvas é a mais antiga de Portugal e conhecida além fronteiras, entre outras coisas pelo Bacalhau Dourado.

Preparação:

Coze-se o bacalhau, deixa-se arrefecer, tiram-se as peles e as espinhas e desfia-se. Num tacho põe-se um pouco de óleo a cobrir o fundo, deita-se o bacalhau desfiado e deixa-se refogar, depois de refogado deita-se a batata palha e envolve-se muito bem.
Num recipiente à parte batem-se muito bem os ovos,temperam-se com sal e pimenta e misturam-se com a batata palha e o bacalhau.
Mexa apenas com um garfo e não deixe secar muito, os ovos devem ficar húmidos.
Sirva de imediato.

Com este prato Elvas quer entrar no Guiness como podem comprovar AQUI 














Sabores de Saber herdado e passado de mãe para filha. É assim a gastronomia do Alentejo, é assim a gastronomia de Elvas.
Cozido de Grão que os trabalhadores levavam para o campo no seu tarro para o manter quente até há hora de comer, o bom pão e o bom chouriço feito por altura da matança do porco,a carne de porco à alentejana,a sopa de cachola, os queixos de porco assados. No porco tudo se aproveita, razão pela qual a carne de porco abunda na gastronomia alentejana.
Já provaram um pedacinho de cabeça de Xara ou uns pezinhos de coentrada?
Por alturas da Páscoa o porco sai de cena e dá o lugar de honra ao borrego.
Ensopado de borrego, borrego assado no forno, costoletas de borrego panadas, de preferência comidos no campo sempre que a mãe natureza ajuda e guarda a chuva a sete chaves e coloca o sol na rua.
Os biscoitos, as queijadas e as enxovalhadas na mesa da Páscoa, as azevias, as filhozes e os borrachos na mesa do Natal e o Sericaia acompanhado pelas Ameixas d'Elvas, que fazia e continua a fazer parte de todas as festas, sempre feito em prato de barro ou, em casa de gente mais abastada, em prato de estanho.

15 gemas de ovos
15 claras de ovos
600 gr açúcar
1 lt leite
150 gr farinha s/fermento
1 pau de canela
1 casca de limão
canela moída q.b.

Confecção:

Bater as gemas com o açúcar até obter um creme fofo.
Dissolva á parte 150gr de farinha com o leite previamente fervido com o pau de canela e casca de limão, junte ao leite o creme de gemas e açúcar mexendo sempre e bem.
Leve a lume brando a engrossar mexendo para não pegar, deixe engrossar até ver o fundo do tacho.
Bata as claras em castelo juntando-as ao preparado acima referido com cuidado; deixe esfriar um pouco.
Num prato de barro deite o doce em porções desencontradas, polvilhe com canela em pó, leve a cozer em forno muito quente; ao coser o doce deverá abrir gretas .











Querem provar estas e outras iguarias?
 Então o melhor mesmo é irem a Elvas e sentarem-se à mesa de um dos muitos restaurantes que por lá existem.
Não se esqueçam de escolher um bom vinho alentejano para acompanhar.
Bom apetite!!


Encontram a maior parte destas receitas no meu blogue Receitas da Dina.
Quem não puder ir prová-las a Elvas pode sempre fazê-las em casa e comprovar a riqueza dos sabores do meu Alentejo!
Espero ter-vos deixado com água na boca.

Foto Bacalhau Dourado: Nuno Veiga

6 comments:

elvira carvalho disse...

Excelente. O post e os pratos especialmente a açorda de que tanto gosto.
Agora o post entra toda na blogagem?
Não eram 25 linhas?
Um abraço e boa sorte.
Depois vou lá votar.

Dina disse...

Elvira, aqui aparece apenas um texto mas lá aparecem dois e com menos fotos e menos receitas...foi a única forma de não ultrapassar o espaço atribuído.

André Miguel disse...

Não há no mundo gastronomia melhor que a nossa!
E olhe já me abriu o apetite.

Tite disse...

Para já as imagens são altamente!!!!

Volto mais tarde e com tempo para ler o resto.

Vou-me concentrar para logo.

elvira carvalho disse...

Hoje reparei na explicação. Ontem devia estar vesga.
Amiga deixo um abraço muito veeeeeeeeeeeeeerde que é para dar sorte.

Ovinho Estrela(do) disse...

Não gosto, oh Dina!!
Nem aqueles anos no alentejo me fizeram render a tal iguaria... Blurrggghhhh...

Mas votar, voto em si! :)
Fica decidido!

Olhe lá... Ninguém oferece açorda às amigas à 1h da manhã, certo? Viu como fiquei amarelada de enjoo? :D
beijo grande*

Blogues da Minha Filha

Seguidores

Arquivo do blogue