terça-feira, março 28, 2006

O músico Luís Represas comemora a partir de amanhã, quarta-feira, com concertos no Porto e Lisboa, trinta anos de uma carreira marcada pela dedicação à música portuguesa e a defesa de causas como a independência de Timor-Leste.
Nos concertos, o primeiro marcado para o Coliseu dos Recreios, no Porto , e mais dois, previstos para sexta-feira e sábado no Centro Cultural de Belém, em Lisboa, o compositor e cantor revisitará três décadas de música, mais de meta de como o rosto do grupo Trovante.


Biografia
Luis Represas nasce em Lisboa a 24 de Novembro de 1956. Aos 13 anos compra a sua primeira guitarra.
Em Agosto de 1976 funda, juntamente com João Gil, João Nuno Represas, Manuel Faria e Artur Costa , o grupo TROVANTE, que se viria a revelar um dos mais importantes e originais da história da Música Popular Portuguesa.
Como vocalista dos Trovante, grava 8 LP's de originais, um álbum duplo " Ao Vivo", tendo também sido editado um "Best Of".
Ao longo de 16 anos de carreira dos TROVANTE, participa em inúmeros festivais internacionais, onde contacta com muitos dos nomes mais importantes da Música Popular actual.
Em Portugal e sempre com os TROVANTE, colabora com José Afonso, Fausto, Sérgio Godinho, Adriano Correia de Oliveira e outros grandes nomes que fizeram a nova Música Portuguesa.
Em 1992 os TROVANTE separam-se.
Luís Represas começa a compor as canções que irão fazer parte do seu primeiro disco de originais a solo.
A fim de ganhar distancia em relação ao passado e ao mesmo tempo novos espaços e viver novas experiências musicais Represas viaja para Cuba, país que visita desde 1978 por ocasião do 11º Festival Mundial da Juventude e dos Estudantes, levando consigo um único músico português: o baixista Nani Teixeira.
Em Havana, esperam-no o grupo de Pablo Milanés, nome maior da música cubana e um dos nomes mais importantes da actual Música Popular, e o pianista Miguel Nuñez, responsável pelos arranjos e direcção musical das novas canções de Luís Represas.
As gravações decorrem entre os dias 8 e 24 de Agosto de 1993 com produção de Eduardo Ramos e incluem as participações vocais do grupo Gema 4 e do próprio Pablo Milanés, que se junta a Luís Represas num dueto inesquecível "Feiticeira".
Assim, nasce "REPRESAS", que além de cantado na sua língua natal, é totalmente gravado em castelhano a fim de levar mais longe e a mais gente as suas canções, versão que se encontra editada em Cuba pela PM Records.
Depois de se apresentar ao vivo em todo o País, consagra-se na mais popular sala de Lisboa , o Coliseu dos Recreios , em duas noites completamente lotadas e registadas para televisão pela RTP.
Em 1995 inicia a composição do disco "CUMPLICIDADES".Gravado em Lisboa no final de 1995 e princípio de 1996, o segundo CD de Luís Represas conta com a colaboração como produtor e arranjador de Bernardo Sassetti, um dos mais prestigiados pianistas de jazz Português, com reconhecida carreira internacional.
Além de Sassetti, Luís Represas convida para participar em "CUMPLICIDADES" o grande mestre da Uilleann Pipes e Low Whistles : o irlandês Davy Spillane.
Depois de uma tournée bem sucedida, aceita o desafio de se apresentar no Grande Auditório do Centro Cultural de Belém por quatro noites consecutivas completamente lotadas que contaram com a participação muito especial de Davy Spillane , imortalizadas num programa de televisão realizado pela SIC e um CD duplo, "AO VIVO NO CCB", que atingiu dupla platina.
Meses mais tarde o compositor argentino Ariel Ramirez vem a Portugal apresentar a sua mundialmente conhecida Misa Criolla fazendo-se acompanhar do seu filho, o pianista Facundo Ramirez, dos seus músicos habituais e de um coro de cerca de oitenta figuras. Para solista Ariel Ramirez convida Luís Represas. Dois concertos únicos no Centro Cultural de Belém, dos quais não existe infelizmente nenhum registo, que se revestiram de um estrondoso êxito.
Em Ponta Delgada nos Açores, na Igreja de S. José, Luís Represas repete o sucesso com a Misa Criolla, desta vez acompanhado pelo Coral de S. José e por músicos do Conservatório de Ponta Delgada, cantando para cerca de duas mil pessoas.
Em 1998 Luís Represas rescinde contrato com a EMI e assina com a BMG editando o CD "A HORA DO LOBO".
Neste trabalho dá-se o reencontro de Luís Represas com Miguel Nuñez, do qual resulta um álbum cheio de melodias intensas e fascinantes.
"A HORA DO LOBO", canção que dá título ao disco, conta com a participação de Pedro Guerra, músico espanhol extremamente popular no País vizinho. Este CD encontra-se também gravado em versão castelhana adaptado pelo próprio Pedro Guerra e por Raquel e Nuria Diaz.
De novo, tendo agora como sponsor o BANCO UNIVERSO, Luís Represas leva para os palcos o novo disco com mais três espectáculos lotados: um no Coliseu do Porto e dois no Coliseu de Lisboa.
Durante a Exposição Mundial em Portugal EXPO 98 convida Pedro Guerra de Espanha, Carlos Zel de Portugal, O Trio de Miguel Nuñez de Cuba, Carlos Nascimento de Angola e Edu Miranda do Brasil para se apresentarem numa noite em cinco palcos distintos, reunindo-se a ele num concerto verdadeiramente multicultural precisamente no dia em que a exposição ultrapassa pela primeira vez os 100.000 visitantes.
A 12 de Maio de 1999, a convite do Sr. Presidente da Republica Dr. Jorge Sampaio, Luís Represas regressa ao passado reunindo-se com os TROVANTE para memorável espectáculo no Pavilhão Atlântico.
Este emocionante reencontro deu origem a um programa de televisão com a RTP e um CD duplo, ao vivo, intitulado "UMA NOITE SÓ", que atingiu o galardão de dupla platina.
No mesmo ano Luís Represas é convidado para ser a Voz , na versão portuguesa dos temas originais de Phill Collins , na banda sonora do filme de banda desenhada "TARZAN".
Com o tema "O LADO BOM DA SAUDADE", com letra de João Monge e arranjos de José Calvário, Luís Represas desloca-se pela segunda vez no mesmo ano a Macau , desta feita para participar na Cerimónia de Transferência de Soberania do território, onde curiosamente ocorre o primeiro encontro do cantor com o líder histórico timorense Xanana Gusmão.Na sequência da sua luta pela causa Timorense, Luís Represas é convidado pelo Presidente da República Dr. Jorge Sampaio, a deslocar-se a Timor , em visita oficial, levando na bagagem o tema que se tornou num hino à independência e paz do território, "TIMOR".
Regressa a Timor em Maio, desta vez a convite de Xanana Gusmão, para participar nas comemorações do primeiro aniversário do Referendo que decidiu pela via da independência do território.
Na entrada do ano 2000, Luís Represas é responsável pela composição da banda sonora original da série televisiva "A RAIA DOS MEDOS".
Em Abril desloca-se ao Brasil para dois concertos na Praia de Copacabana no Rio de Janeiro e no Parque Ibirapuera em S. Paulo a Convite do Festival PãoMusic. Nestes concertos divide o palco com a cantora Daniela Mercury.
Depois de rescindir contrato com a BMG assina com outra major, a UNIVERSAL e grava , em Espanha , o seu quarto disco de originais "CÓDIGO VERDE" que lança em Outubro do mesmo ano e com edição prevista no estrangeiro na versão castelhana (com adaptações de Raquel e Nuria Diaz) durante 2001.
O produtor espanhol José António Romero assina a produção , os arranjos e direcção musical deste trabalho , que conta com a participação do seu amigo do Brasil o conhecido Martinho da Vila cujo disco LUSOFONIA conta também com a colaboração de Luís Represas .
Em Dezembro desloca-se à Costa Rica a convite da Sociedade de Autores local para participar como artista internacional na gala de entrega de prémios da música.
Nas Eleições Presidenciais de 2001 o Candidato e Presidente da Republica em exercício Dr. Jorge Sampaio convida Luís Represas para seu Mandatário Nacional para a juventude.
Com o patrocínio da NOVIS , Luís Represas tem já organizada a tournée "Código Verde" para 2001 , com inicio no dia 3 de Março , em Guimarães , berço da Nação.
Em 2001 Luís Represas comemora 25 anos de carreira.
A fim de os celebrar, realizou em Abril no Pavilhão Atlantico em Lisboa para mais de 8 mil pessoas e no Coliseu do Porto concertos únicos com a participação da Orquestra Sinfónica Juvenil e dos convidados João Gil e Manuel Faria (ex Trovante), Bernardo Sassetti que também assinou um surpreendente arranjo do tema "Sorriso" (Trovante 84), Fausto e Davy Dpillane. As orquestrações e direcção de orquestra estiveram a cargo de José Calvário. A produção esteve como sempre a cargo da Oficina da Ilusão.
Em Setembro parte para Praga para gravar com a Orquestra Sinfónica da República Checa. Começa assim o novo projecto Reserva Especial. Aceitando o desafio do presidente da Universal Music Portugal, Tozé Brito, Luís Represas edita um disco em tudo diferente dos anteriores. Trata-se de uma colectânea de 21 grandes canções, intemporais, de universos tão diferentes como o Anglo-americano, Latino-americano Brasileiro e ,claro, Português. Com arranjos de José Calvário, e depois de passar por Londres onde teve a participação de muitos outros músicos, canções como "Fire and Rain" de James Taylor, "Con los años que me quedan" de Gloria Estefán, "Bilhete"de Ivan Lins e " A noite passada " de Sérgio Godinho ganharam outra dimensão nesta "Reserva Especial".
Em Maio de 2002 parte novamente para Timor desta vez com todos os seus músicos a fim de participar no festival comemorativo da Independência de Timor Leste.
Também em Maio compõem a convite da Swatch o tema “Quero uma casa deste tamanho”, editado em disco juntamente com duas gravações inéditas do concerto “ 25 anos de música” no Pavilhão Atlântico cujas receitas reverterão em favor da instituição de solidariedade “Ajuda de Berço”.
Em Agosto parte para Cuba a convite da Embaixada de Portugal em Cuba na pessoa do Embaixador Dr. Alfredo Duarte Costa, para realizar dois concertos. Um na Sala Cobarrubia do Teatro Nacional e outro no Habana Café, ambos em La Habana. Estas foram as primeiras apresentações de um artista português fora da música clássica naquele país, e acolheram da parte dos media e do público as melhores críticas.
Nestes concertos convida a partilhar o palco, Miguel Nuñez, Osmany Sánchez, Suylén Milanês e Compay Segundo, fazendo-se acompanhar da totalidade da sua equipa musical e técnica habitual.
Estes concertos foram possíveis com o apoio da Embaixada de Portugal em Cuba, o Ministério da Cultura Cubano, o Instituto Camões, o Club Vip e os Hotéis Melliá Cohiba e Novotel em La Habana.
Em Outubro de 2003 Luís Represas apresenta-nos "Fora de Mão", o seu novo álbum de originais. Um disco gravado entre Portugal, República Checa e Cuba, produzido a três mãos, com Represas a contar aqui com músicos que já se conhecem entre si há muitos anos. Falamos do guitarrista Luís Fernando e de Miguel Nuñez, em quem ficou também a responsabilidade dos arranjos e direcção musical. Outro reencontro de Represas é o com a Orquestra Sinfónica Nacional da República Checa, a orquestra com quem gravou o disco anterior e com o baterista/percussionista cubano Osmany Sánchez. Rodeia-se assim de familiaridades que fazem deste novo trabalho um autêntico jogo de cumplicidades.
No inicio de 2005 volta a encontrar-se com José Cura no Pavilhão Atlântico em Lisboa onde repetem o êxito de há três anos.
Em Abril a cantautora cubana Liuba Maria Hevia convida Luís Represas para gravar um dueto no seu próximo disco, o que aconteceu em Havana nos estúdios Abdhala com Miguel Nuñez.
Em Maio desloca-se à Argentina para três recitais em Buenos Aires. A acompanha-lo estão Luís Fernando e Miguel Nuñez e reencontra-se em palco com Facundo Ramirez.
No dia 10 de Junho, Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades, é condecorado por Sua Excelência o Sr. Presidente da República, Dr. Jorge Sampaio, com a Ordem de Mérito.




Ando em busca das palavras

Aprendi mais do que sei
Sei coisas que desconheço
Ando em busca das palavras
Que são lidas do avesso

Faz-me falta
O que já tenho
Dos sonhos que construí
Só as minhas mãos tão cheias
Desmentem
O que não fiz

Apenas faço um aceno
Um sinal
Dia após dia
Sentado à beira do mundo
Para dizer que estou aqui
Quem me achar que me acompanhe
Ao lugar de onde parti

A minha vida não para
E corre no meu caminho
Esta teima do destino
Em dar-me o que sempre quis

Faço mais do que digo
Digo mais do que penso
Tenho tudo e nada tenho
Que a tudo e todos pertenço

Olho os homens
Olho o mundo;
Vejo uma estrela cadente.




Do seu último trabalho "Fora de Mão"

http://www.luisrepresas.com

4 comments:

Ze de Mello disse...

Que prazer te-la de volta aos éditos!

Espero que tudo esteja a correr pelo melhor!

Xanu disse...

Está tudo a correr bem embora com algumas saudades de Elvas...mas a vida é assim mesmo.

Chave dos Sonhos disse...

Se gostas de Luis Represas... este é um blog dedicado aos 30 anos da sua carreira.

*chave dos sonhos*

Chave dos Sonhos disse...

Xanu

já viste o clube de fãs? está a andar... é só mandares um mail com os teus dados e uma foto... caso estejas interessada, claro está.

Um beijinho

Nanda

http://cfluisrepresas.blogspot.com/

Blogues da Minha Filha

Seguidores

Arquivo do blogue