sexta-feira, janeiro 01, 2010
...um abraço de conforto neste momento difícil.


As coisas que amamos,
as pessoas que amamos
são eternas até certo ponto.
Duram o infinito variável
no limite de nosso poder
de respirar a eternidade.

Pensá-las é pensar que não acabam nunca,
dar-lhes moldura de granito.
De outra matéria se tornam, absoluta,
numa outra (maior) realidade.


(...)


Carlos Drummond de Andrade



3 comments:

Tite disse...

Junto-me a ti neste abraço sentido.

Não consigo fazer mais nada hoje.

Dualidades disse...

Beijinhos Dina

Fernanda disse...

Minha querida amiga Dina,
Não sei o que se passou com o teu amigo querido.

Mas mando-te um abraço cerrado e muito amor.

Beijinhos

Blogues da Minha Filha

Seguidores

Arquivo do blogue